Ir para o conteúdo
A cadeia de sobrevivência

Maior chance de sobrevivência em caso de parada cardíaca

A força de uma cadeia pode ser medida por seu elo mais fraco

Basta um elo fraco na cadeia de sobrevivência para reduzir drasticamente as chances de sobrevivência em casos de paradas cardíacas. As taxas de sobrevivência são baixas e em média, menos de 10% das pessoas sobrevivem. Entretanto, em alguns lugares, as taxas de sobrevivência são de quase 30% e podem chegar até 50%.

O que sabemos

Por décadas, as taxas de sobrevivência em caso de parada cardíaca não melhoraram. Infelizmente situações como essas aconteciam, devido a falta do conhecimento adequado para aumentar a chance de sobrevivência. Agora já sabemos o que precisa ser feito. Atualmente, algumas regiões estão implementando mudanças com base nas orientações da cadeia de sobrevivência e estão obtendo resultados promissores. Ajudando a implementar práticas recomendadas e programas voltados para fortalecer a cadeia de sobrevivência, acreditamos que a chance de sobreviver a uma parada cardíaca pode aumentar em 50%. 

Causar o maior impacto

Foi constatado que as chances de sobrevivência pode ser aumentada em cada contribuição do elo na cadeia de sobrevivência. Nos primeiros minutos após uma parada cardíaca, o trabalho entre a pessoa que ligou para a central de emergência e o atendente pode quadruplicar as chances de sobrevivência. Na hora seguinte, a realização da RCP de qualidade pela equipe de emergência pode triplicar as chances e, nos dias seguintes, o tratamento pós-ressuscitação no hospital pode duplicá-las. No total, é possível aumentar a sobrevivência em caso de parada cardíaca em até 24 vezes.

Nas últimas décadas, o foco estava nos dois últimos elos da cadeia: atendimento de emergência e tratamento hospitalar. No entanto, aprendemos que a chance de sobrevivência pode aumentar drasticamente com ações anteriores. A rápida identificação da parada cardíaca e a melhor realização da RCP, com assistência de um atendente da central de emergência, tem grande impacto sobre a chance de sobrevivência.

Um currículo de treinamento em RCP bem definido, com feedback audiovisual em tempo real, ajudou nosso sistema de emergência a aumentar significativamente a chance de sobrevivência em caso de parada cardíaca, em apenas 18 meses.

Bentley Bobrow, MD, FACEP da Faculdade de Medicina da Universidade do Arizona

RCP por telefone

Os atendentes da central de emergência fazem parte do primeiro elo na cadeia de sobrevivência. A RCP por telefone (RCP-T), também conhecida como RCP orientada pelo telefone, otimiza a comunicação entre o atendente e a testemunha. Com a RCP-T, os atendentes da central de emergência são treinados para reconhecer e identificar uma parada cardíaca e para instruir as testemunhas a iniciar e realizar a RCP de alta qualidade. A RCP por telefone pode aumentar o número de testemunhas que iniciam a RCP e aumentar a qualidade do desempenho da reanimação cardiopulmonar. 

Muitas centrais de emergência têm protocolos estabelecidos, mas não oferecem RCP-T. Implementar um programa de RCP-T para treinar atendentes de centrais de emergência e garantir a qualidade contínua é uma etapa essencial para aumentar a chance de sobrevivência em caso de parada cardíaca.

Como a Laerdal pode ajudar

Fortalecer a cadeia de sobrevivência é uma das formas mais importantes e de maior impacto para avançarmos em nossa missão de ajudar a salvar vidas. Seja ajudando a implementar treinamento em RCP abrangente para pessoas comuns ou facilitando a RCP de alta qualidade para os socorristas, nossas soluções foram criadas para aumentar a chance de sobrevivência em caso de parada cardíaca.

Para mais informações

Como prefere que façamos contato com você?